José Afonso - 90 Anos Os Cantos Intemporais do nosso (des)contentamento

José Afonso foi um homem do seu tempo e dos tempos que viriam: assumindo-se como legítimo herdeiro e usufrutuário de tradições do canto de resistência nas fileiras das lutas pela liberdade, interpretou as urgências e as necessidades do seu tempo conferindo-lhes horizontes de futuro que permanecem como estímulos fundamentais no nunca terminado processo de conquista da dignidade humana numa “cidade sem muros nem ameias”. A intemporalidade das suas cantigas – mesmo naquelas cujo processo de criação parece confinado a um quadro histórico muito concreto e historicamente definido – radica justamente nessa genial capacidade de antecipar o futuro conquistando vontades e sensibilizando consciências para os amanhãs por fazer.

Este artigo está disponível na edição impressa